Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por Carmen Saraiva

foto do autor


Contacto

cmsaraivasantos@gmail.com

100 páginas no Instagram

@carmensaraivasantos

100 páginas no Facebook


calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Pesquisar entre as páginas

 


Há gente mais doida do que eu

Quarta-feira, 04.09.13

Ontem ouvi a notícia referente à brincadeira com a simulação de rapto que se deu no Domingo em plena Lisboa, mais precisamente nos Restauradores, e que resultou na moblização desnecessária de 20 agentes e em seis detenções. Fiquei chocada. Primeiro: uma estupidez destas tem vários culpados, e não falo apenas da mente espetacularmente bronca que gere a empresa que organiza estas simulações, mas também de quem acha que isto é normal e contrata os seus serviços. Estas turistas inglesas não foram as primeiras, dado que pelos vistos a empresa funciona há já quatro anos com outros clientes. (pergunto-me onde andarão estes indivíduos doidos, e se estarei segura quando saio à rua) Segundo: se me fizessem uma coisa destas, o mais provável era irem todos dentro, sim, mas por homicídio involuntário, porque garanto que me ia dar uma coisinha má, de certeza. Isto não é propriamente uma brincadeira inofensiva, do género pregar um susto a alguém que está com soluços. Mais: e se a polícia, achando que a vida de duas pessoas poderia eventualmente estar em perigo, decidisse disparar contra os supostos raptores, mesmo que fosse para as pernas? Diziam o quê? "Ah, não, não dispare por amor de Deus, estamos só a brincar!" Ou se para os fazer parar disparasse contra os pneus e provocasse um despiste do automóvel e um consequente acidente que prejudicasse gravemente terceiros, quanto mais não fosse a destruição de bens materiais alheios? Não tenho palavras...

A empresa intitula-se de "diversão" e recusou prestar declarações aos jornalistas. Só disse que nunca esta simulação tinha corrido mal. Ah, pronto, então se é assim, tudo bem, amigos como dantes. A sério que uma mente sã pode mesmo achar que isto é diversão, e que tem alguma graça? E que não sabiam que apontar uma arma a outra pessoa, de plástico ou não, a brincar ou não, é considerado crime punido por lei? Espero que sejam devidamente responsabilizados e penalizados, não só a empresa mas também quem os contratou, para ver se aprendem a lição e acordam para a vida real. Alguém anda literalmente a ver muitos filmes...

 

Para quem não viu, aqui está o resumo da esperteza:

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2013/09/03/seis-pessoas-detidas-em-lisboa-por-simulacao-de-rapto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva


Em poucas palavras



O que preenche as páginas


Folhearam as 100 páginas


subscrever feeds