Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Por Carmen Saraiva

foto do autor


Contacto

cmsaraivasantos@gmail.com

100 páginas no Instagram

@carmensaraivasantos

calendário

Novembro 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Pesquisar entre as páginas

 


Happy feet

Segunda-feira, 17.03.14

 

Do passeio soalheiro de domingo.

Tal filha, tal pai.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Carmen Saraiva

A sessão fotográfica da gravidez

Segunda-feira, 17.03.14

Há uns anos fui numa viagem de trabalho até aos Alpes Franceses. Foram cinco dias extraordinários num hotel no meio da neve, uma experiência única para mim, que não sou grande fã de férias no frio nem de desportos de inverno. Confesso que adorei tudo, a começar pelo cenário montanhoso vestido de branco e terminando no hotel, que era de sonho, mas realmente não é para mim - prefiro muito mais o sol e o calor. Nessa viagem foram outros jornalistas e fotógrafos de jornais e revistas, e foi aí que conheci o Dário Cruz (na altura enviado pelo Jornal Público), o autor desta sessão que registou a minha gravidez, e que não podia ter ficado mais perfeita. Detesto aquelas sessões onde as grávidas aparecem meio despidas, com a barriga de fora e o peito quase ao léu, e por isso sabia perfeitamente que queria algo diferente - algo precisamente assim. Já conhecia o trabalho do Dário, sabia que gostava e lancei-lhe o desafio para esta sessão, que ele aceitou com entusiasmo. O cenário foi o Jardim Botânico d'Ajuda, que por sorte estava completamente vazio e ajudou a dar aquele ar de conto de fadas. A sessão foi no dia 30 de novembro de 2013, ou seja, estava eu com cerca de 36 semanas, a duas semanas da Margarida nascer. Recebi o resultado final há uns dias e partilho aqui algumas, embora tenha sido difícil escolher por gostar tanto de todas - mas é impossível partilhar tudo, são mais de 200! Para quem gostar do estilo de fotos e quiser contactar o fotógrafo, o Dário Cruz tem página no Facebook - Dário Cruz Fotografia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Carmen Saraiva

Grande 31

Quinta-feira, 17.10.13

O dia 15 foi um dia cheio. Marquei mil e um compromissos e depois andei a correr de um para outro, atrasada, claro, na maioria das vezes. Mas gostei de não ter tido tempo para parar e pensar, "Hmmm... já estou mais perto dos 40!" Em vez disso decidi fazer uma mudança radical e dei um grande corte no cabelo. O marido ficou em choque, mas eu sinto-me lindamente. O comprimento era tanto que já nem conseguia mantê-lo solto, sobretudo agora que começo a sentir os afrontamentos do último trimestre da gravidez! E, já dizia a minha rica mãezinha, "Para que queres cabelo comprido se andas sempre com ele atado?" Exatamente. Agora está pelos ombros e não me lembro de o ter tão curto já há alguns anos. E está esticado, o que significa que quando os caracóis voltarem vai levantar um pouco mais... Mas não faz mal! Vai voltar a crescer, e uma mudança é sempre uma lufada de ar fresco. Sentia-me super pesada (e não pela razão mais óbvia), e agora com um novo look até vejo a vida com outras cores.

Depois do almoço em família, que foi giríssimo (comi um robalo grelhado que estava uma delicia), passei na Maria Pestana para a manutenção das minhas pestanitas - agora estão mais cheias e ainda mais dramáticas! Adorei! Isto em combinação com o novo corte pôs a autoestima dos 31 lá em cima. Depois cheguei atrasada ao lanchinho com as meninas - foram quase entradas do jantar. Mas foi muito bom aproveitar aquele bocadinho para estar com elas, ainda que tenha sabido a pouco! A seguir fomos à aula do curso pré-parto que perdemos na semana passada, a que falou sobre amamentação. Algumas teorias já conhecia, outras foram novidade. Acho que depois do curso pré-parto vou parar por aqui no que diz respeito às leituras e aos workshops. Quero mesmo é a prática, já tenho a cabeça cheia de um completo manual de instruções de bebés. Só falta dar-lhe uso.

O dia terminou com um jantarinho de sushi, que já não comia há séculos e soube lindamente. Só chegámos a casa perto da meia-noite. O dia passou num instante, tal como o ano, mas foi muito feliz. E agora o que aí vem será ainda melhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Carmen Saraiva

Constatação do dia

Terça-feira, 17.09.13

Ontem no lanche ajantarado do aniversário do sobrinho, em que eu e o meu pai decidimos ir de penetras com a desculpa de que íamos entregar a prenda e acabámos a provar a pizza de metro que saiu do forno da Panificadora do Arce, teve lugar a seguinte conversa com o meu cunhado (o tal que levou os parabéns em vez do filho) quando chegámos à parte do bolo de aniversário:

 

Cunhado P.: Não te preocupes. Esse bolo podes comer à vontade, não engorda.

Eu: A sério?

Cunhado P.: A sério. O bolo não engorda. Quem engorda és tu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva

Parabéns!

Segunda-feira, 16.09.13

Hoje é o aniversário do sobrinho mais velho. 13 aninhos! Há pouco enganei-me e, em vez de ligar para ele, liguei para o pai, que tem o mesmo nome. O mais giro é que, como ele já tem uma voz bastante grossa, nem notei a diferença até ter gritado de forma entusiasta "PARABÉNS!!",  e o pai me responder "Olha que te enganaste..." São coisas que acontecem.

Espero que tenhas um dia muito feliz (apesar de ser o primeiro dia de escola)!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva

Facto do dia

Terça-feira, 30.07.13

Porque é que a minha irmã e a minha sobrinha vão chegar aos 80 anos sem rugas? Porque estiveram uma semana a banhos e mesmo assim nem parece que foram à praia...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Carmen Saraiva

Hoje é dia de festa!

Segunda-feira, 29.07.13

Parabéns à sobrinha mais querida e linda do mundo! A bebé Ângela, que ainda ontem usava chucha, faz hoje 21 aninhos! Ou seja, já pode apanhar uma grande bebedeira nos Estados Unidos... entre outras coisas!
Muitas felicidades e muitos anos de vida, sempre com saúde!! Adoro-te!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva

Venham mais 70!

Segunda-feira, 22.07.13

Ontem celebrámos o aniversário do pai. Houve almoço daqueles que duram até às tantas, típicos de domingo, em que dá para pôr a conversa e as gargalhadas em dia. No caminho até ao restaurante, no carro, perguntavam os meus sogros quantos anos eram. Fiquei na dúvida entre 68 ou 69, mas mais inclinada para a segunda hipótese (e que era realmente a correta). E o mais engraçado foi a incredulidade do marido, que convive diariamente com ele há quase três anos: "O quê, alguma vez???" E nesta frase se exemplifica bem a quem não conhece o meu pai que de facto não parece ter a idade que tem. Nem pensar. Nunca me lembro que tem quase 70 anos, e quando vejo alguém com essa idade, cheio de maleitas e limitações, percebe-se porquê. Para o meu pai os anos não passam. Nunca fica doente, faz exercício físico diariamente (às vezes até demais), é viciado em saladas e em fruta. Nunca fumou, bebe ocasionalmente um copo de vinho e todos os dias se levanta religiosamente por volta das 7 horas, se não mais cedo. Trabalhou (oficialmente) quase 60 anos da sua vida e hoje, mesmo reformado, não pára. É uma fonte de energia inesgotável. É um dos dois homens da minha vida e nutro por ele uma admiração eterna e crescente, que não é senão merecida. Devo-lhe tantas coisas que não chegavam todos os blogues nem todo o espaço virtual para enumerá-las. E lembro-me de que houve um tempo, naquelas fases parvas da adolescência, em que me senti a milhares de quilómetros do meu pai, ainda que vivessemos na mesma casa. Penso que terá sido logo depois de termos perdido a minha mãe. Curiosamente, foi só quando fui morar e estudar para Inglaterra e fiquei realmente a milhares de quilómetros de distância que percebi o quanto a presença e a companhia dele me faziam falta. Durante esse período fiquei mais próxima e conversei mais com o meu pai do que enquanto cá estava, mesmo que às vezes as conversas fossem por carta ou e-mail - o telefone estava limitado a uma vez por semana, salvo alguma emergência, para não ficarmos ambos na bancarrota. Havia sempre tanto para contar e para perguntar que cada palavra era preciosa. Essa oportunidade e experiência única devo-a também a ele, e além do diploma pude trazer na bagagem muitos amigos para a vida e muitos dias inesquecíveis que fizeram de mim a pessoa que hoje sou. Enfim, é um pilar na minha vida, sempre fez e continuará a fazer-nos falta a todos, por mais que os anos passem. Espero que continuemos a celebrar o seu aniversário e a repetir dias como o de ontem pelo menos mais 70 vezes, e sempre com saúde - pode ser que assim tenha tempo suficiente para agradecer e tentar retribuir alguns dos itens da interminável lista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva


Em poucas palavras



O que preenche as páginas