Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por Carmen Saraiva

foto do autor


Contacto

cmsaraivasantos@gmail.com

100 páginas no Instagram

@carmensaraivasantos

100 páginas no Facebook


calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Pesquisar entre as páginas

 


A ginástica pós-bebé

Segunda-feira, 12.05.14

A semana passada foi de loucos. Tive de ir para Lisboa todos os dias para usufruir da minha semana grátis de ginástica pós-parto no Centro Pré e Pós Parto, onde fiz o curso de preparação no ano passado, e por isso tive pouco tempo para estar online. Tinha inclusivé textos para entregar e não foi fácil conciliar os deadlines com todos os horários acrescidos. A Margarida também podia ir comigo e ficava entregue a uma ama e uma enfermeira, mas acabei por cravar a mana D. para ficar com ela e assim fui e vim mais depressa, e com menos logísticas. O único dia em que ela foi fizemos um workshop engraçado de brincadeiras para bebés, com uma bola de praia daquelas insufláveis - aquilo tem mais utilidade do que imaginamos, e é uma simples bola... Já comprei uma muito gira na Pré Natal por 1,99€ e agora vou repetir as brincadeiras aqui em casa.

Bom, gostei imenso das aulas de recuperação pós-parto, mas sinceramente está fora de questão continuar, porque abalar-me para Lisboa só para fazer exercício não faz qualquer sentido. Tenho o meu ginásio, que adoro, aqui bem pertinho e prefiro mil vezes. Aliás, tenho mesmo de começar a pensar em ir (e cravar novamente a mana duas ou três vezes por semana uma horita ou duas para ficar com ela) porque sinto mesmo a falta de mexer o rabo. Ah, e ando com umas fomes que não têm explicação. Nunca durante a gravidez senti tanta fome como sinto agora - durante a gravidez comi sempre pouquíssimo, btw. Partilhei isto com a instrutora das aulas pós-parto e ela disse-me que era normal, já que as noites mal dormidas, a falta de descanço, a amamentação, tudo isso fazia o corpo precisar de mais combustível. Estive para interrompê-la e explicar que durmo a noite toda desde que a pediatra me autorizou a tal (ou seja, tinha ela quase dois meses), e antes disso já dormia seis horas desde que ela fez um mês, porque era o intervalo máximo que ela podia fazer, e aí tinha de a acordar, e que ela nunca acordou de noite a não ser com fome (e ainda assim conta-se pelos dedos de uma mão as vezes em que isso aconteceu), e depois de comer adormece de imediato, e que o normal dela é dormir dez a doze horas seguidas, e que me deixa descansar perfeitamente porque se porta lindamente... mas não o fiz, tive medo de levar com um step na cabeça, lançado por uma das mães que lá estava.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marcadores:

por Carmen Saraiva


Em poucas palavras



O que preenche as páginas


Folhearam as 100 páginas


Subscrever as 100 páginas